.

.
A criar canários desde 1982 - STAM 666H
Criamos atualmente - Gloster Fancy, Arlequim Português, Lipocrómico Vermelho

Telm: 968 094 048
E-mail: goncaloferreira.canarios@gmail.com
Principais Títulos

Campeão Mundial

Arlequim Português

Campeão Nacional
Arlequim Português; Gloster Fancy e Isabel Vermelho Mosaico

Campeão Internacional COM - Atlântico
Campeão Internacional COM - Reggio Emilia

Arlequim Português

Campeão CCAP - Clube Canário Arlequim Português
Arlequim Português

Best in Show Monográfica Terras do Sado
Arlequim Português

Best in Show GCP - Gloster Clube Portugal
Gloster Fancy

19/07/10

Bossu Belga


Fotografia: Autor Desconhecido

Histórico

"Năo é o corcunda de Notre Dame! Ele também é concurda, mas sua origem é a Bélgica, apesar de haver várias hopóteses para os ancestrais dessa curiosa ave: o Bossu Belga. É muito provável que o Groote Gentsche Vogel (grande pássaro amarelo) tenha tido um grande papel na formaçăo desta linhagem, pois é considerado ancestral do canário Bossu Belga. Pelo que sabemos, o Groote GentscheVogel năo tinha corcunda.

Portanto, supomos que o Bossu Belga era um mutante verdadeiro na sua origem. Esse pássaro existe atualmente graças ao Sr. Dawans, de Ličge, Bélgica. Ele se empenhou muito em trazer esta linhagem de volta, depois de já estar extinta. Começou seu trabalho em meados dos anos 20, e ao fim dos anos 30 já possuía pássaros bons. Veio, então, a Segunda Guerra Mundial e tudo foi perdido novamente. Mas Dawans reiniciou o trabalho em 1952, baseado na sua experiência dos anos 20 e 30. Ele fez uso de três linhagens para chegar ao atual canário Bossu Belga:

· Yorkshire, do tipo antigo (ringbitf)
· Mzalinois, do tipo antigo (mechelen)
· Frisado do Sul (holandês)

Em 1958, após 6 anos de trabalho, conseguiu pássaros muito bonitos, como os que conhecemos hoje.

Padrão

Desde o início o padrão passou por várias mudanças através dos anos e, muitas vezes, de modo desfavorável ao porte e ao progresso da linhagem, conforme as expectativas de criação de nossos antepassados.

Foi preciso reintroduzir o primeiro padrão como critério para os monges dos monostérios de Burges e Gent (Bélgica), responsáveis pela reputação mundial do Groote Gentsche Vogel. O primeiro padrão reconhecido pela AOB (Federação da Bélgica) e seus juizes de canários (Tabela I).

Este padrão foi adaptado alguns anos mais tarde e reconhecido pela COM. (Tabela II).
A gaiola de exposição é a de Yorkshire ou a de gaiola de canário belga. Esta é como a gaiola de Yorkshire, porém um pouco mais abaulada em cima e um pouco menor.

Criação O Canário belga não é difícil de criar. Ele cria bem sus filhotes. Claro que não é muito fácil crias os pássaros de melhor qualidade, mas isto é válido para todos os tipos de canários.

Alimentação e gaiolas de criação são como nas outras linhagens de canários de porte.
No momento há entre 100 e 200 bossus belgas nas exposições de canários, dos quais a qualidade da média é muito boa.

Tabela I

Cabeça pequena, ligeiramente oval
3 pontos

Pescoço longo, fino, não dobra
10 pontos

Ombros altos, largos, quadrados, bem erguidos
10 pontos

Costas longas, largas, eretas, bem preenchidas
5 pontos

Corpo longo, esticado, na forma de uma raiz
5 pontos

Peito redondo, bem encorpado
5 pontos

Asas longas, não cruzam
5 pontos

Cauda longa, reta e pequena
3 pontos

Pernas longas, retas, juntas, bem plumadas
4 pontos

Plumagem macia, brilhante, sem encaracolar
6 pontos

Tamanho 17 cm
4 pontos

Porte no formato do nro 7 em lnha reta (costas e cauda)
40 pontos

Total 100 pontos

Tabela II

Forma geral do corpo
25 pontos

Cabeça e pescoço
12 pontos

Tamanho
5 pontos

Pernas e patas
5 pontos

Cauda
5 pontos

Porte
40 pontos

Plumagem
8 pontos

Total 100 pontos

Fonte: Juiz OMJ/COM Belga
Marcel Verschueren
Tradução M. Wolfensberger
Revista Aves & Criadores 2001
Arquivo editado em 09/03/2002

Sem comentários:

Últimas dos Bloggers